9 de mar de 2006

Capricho

 Nao sou afeita a muitos caprichos. Ate deveria se-lo. Meu ultimo analista recomendou que eu desse vazao aos meus desejos, aqueles mais vis, tolos, que chamou de vontade. Mas desde que aqui cheguei nao tenho tido tempo de me debrucar sobre minha alma para ouvir a voz interior que costuma revelar os segredinhos desta ordem. Nao que eu tenha pensado que seria facil conciliar vida profissional, emocional e domestica na terra do Tio Sam sem o auxilio luxuoso de D. Maze e Regina. Nem achei que um dia fosse acreditar que perderia algumas calorias enquanto passava o aspirador no carpete ou ainda que o vapor da agua quente na pia da cozinha pudesse rejuvenescer a pele. Tudo para manter em alta a relacao custo/beneficio a partir de uma versao contemporanea de Pollyana Rainha do Lar. Sem falar que considerando que tempo e dinheiro, melhor nao perder nem um milesimo de segundo; se ha lagrimas para chorar, que esperem pela hora do banho.
Mas tem algo que nao abro mao, em dias comuns ou nao, de segunda a sexta, final de semana e feriado, morta de feliz ou em plena depressao; depois de arrumada e penteada, porque nao dizer maquiada, afinal estamos na America, nao saio sem algumas gotas do meu perfume Mademoiselle Chanel, um luxo , por certo, para nao dizer um capricho. Se soubesse, meu analista me daria alta. Posted by Picasa

2 comentários:

Matheus disse...

hauhauahuha
amei!!!mt bom como sempreee!!!
n sabia o nome do teu perfume!!
mas tuh eh sempre cherosaa!!!!

te amuh!

bjioss!

Anônimo disse...

Irma, de volta a terra do tio Sam, eu, saudosa do contato humano (as vezes, até meio excessivo) de nossa terra natal, fui ler o seu Blog para me deliciar e saber-me viva mesmo no silencio. Continue escrevendo e usando as suas gotas de Channel para perfumar o mundo!
Mana