24 de mar de 2006

CAFUSÃO

 As noticias dos canais brasileiros ou ainda as informacoes a que temos acesso nos jornais online nao sao o que eu chamaria de animadoras. Nao me refiro aos grandes conflitos que assolam o mundo, aos inocentes mortos em nome de Deus, aos governantes vaidosos sedentos de poder, aos tolos que justificam o desproposito. Nao que isso nao mereça minha indignaçao, mas o que tem me deixado aflita por ora sao os pequenos absurdos,como a prisao de Maria Aparecida Matos que passou um ano e sete dias na cadeia porque, em maio de 2004, funcionários de uma farmácia em São Paulo a surpreenderam na tentativa de furtar um xampu e um condicionador, ou ainda de Angélica Aparecida de Souza Teodoro, presa em novembro de 2005 sob acusação de roubar um pote de manteiga no valor de R$ 3,20. Enquanto isso, aguardam em liberdade criminosos que cometeram delitos graves, desde matar pai e mae ate desviar dinheiro publico para os paraisos fiscais. Pois bem, mas ate ai nao ha nada que os jornais e revistas nao tenham publicado ou que nao tenha passado pela cabeca de qualquer um de nos cidadaos ou ainda dos colunistas, blogueiros e formadores de opiniao de plantao. Muitos artigos foram escritos,discussoes deflagradas, bandeiras levantadas em favor dos socialmente injusticados, fisiologicamente desprovidos, psicologicamente alterados, e mais de um milhao de termos que sempre aparecem para ilustrar a materia. Mas a melhor definicao da situaçao nao foi publicada em lugar nenhum, embora devidamente divulgada para uma plateia relativamente numerosa, por um rapaz moreno, de seus vinte e poucos anos, nome e RG desconhecidos. O sujeito foi pego dentro de um supermercado,tambem na tentativa de furtar um xampu. Quando foi algemado pelo segurança e se viu rodeado de pessoas que chegavam sem parar de todos os lados para assistir a cena, falou num tom irritado, pronunciado em um dialeto tipicamente nordestino: "Oh cafusão porcasa de um vidro réio de xapú"

Um comentário:

Anônimo disse...

O engraçado, irma, é que cafusão acontece demais com você, sem você pedir ou querer!

Beijos,
Mana