11 de abr de 2006

Saüdade

Primeiro vieram as desculpas, o teclado que não estava configurado nos moldes brasileiros, a falta de costume em acentuar as palavras em inglês. Depois veio a preguiça propriamente dita e, enfim, a acomodação. Nos últimos cinco anos tenho me divertido em transgredir as normas ortográficas e ignorado as leis de acentuação. Também, fora isso, não tenho tido muitas chances de exercitar meu lado rebelde, ao contrário, tenho seguido a cartilha a risca, como uma boa menina que faz o tipo orgulho da família. Claro que também estava me valendo da falta de formalidade que reina no mundo virtual. Os acentos são de fato prescindíveis no dialeto dos internautas natos. Mas agora aqui estou eu, me esforçando para colocar os pingos nos is, para não falar da cedilha, acentos e , se bobear vai até trema e ponto e vírgula. Você há de perguntar porque enfim cedi aos apelos da última reforma ortográfica, datada de 1971, que por sinal anda sempre as voltas com a possibilidade de ser mais uma vez revista. Nem eu sei ao certo, talvez assaltada por uma nostalgia ou vontade de me diferenciar. Eu explico. Semana passada pude testemunhar minha sobrinha, que aqui se encontra, se deliciar com um email do avô que escreveu a palavra amor com acento cincunflexo. Sim, amôr. Ela achou tudo muito interessante e descobriu que o avô já era homem feito quando teve que lidar com amor sem acento, tarefa não muito fácil, considerando a possibilidade de, quando garoto, ter escrito amôr pelo menos trezendas vezes, enquanto estudava para o ditado. Mas descobrimos que não foi este seu único desafio. Também teve que lidar com a saudade sem trema. Embora facultativo, àquela época havia quem escrevesse saüdade, só para indicar a presença de um hiato na palavra. Nada mais justo e apropriado. Embora livre do trema, saudade vai sempre carregar a idéia de um hiato imenso entre partes que habitam mundos diferentes. Quem sabe um dia meus netos venham a achar engraçado o fato de que a avó usou no blog, por puro descuido, palavras acentuadas. Antes disso, na próxima reforma ortográfica, vou sugerir um retrocesso, saudade com trema faz muito mais sentido.

Imagem: http://www1.instit-st-jo.asso.fr/p-jalvarez/foucauld/docPhotosClasses.shtm

7 comentários:

Matheus disse...

essa dri tem milhares de temass!!
te amuhh!

bjooss!

Nathaly disse...

Amiga,
Amo vcs (com e sem acento) e estou morrendo de saudades (com e sem trema).
Amei o post!

estrangeira disse...

Como foi que vc fez? Configurou o teclado? Eu nao sei como fazer e a unica alternativa que tenho eh escrever primeiro n o word, onde tenho os atalhos (chatos) para os acentos, til, cedilha...mas fico compreguica de escrever no word...acho que a preguica vence todos os embates por aqui :-S

Nathaly disse...

Dri,
Cade tu que nao "posta" mais?!
To com saudades!!!

Anônimo disse...

Uma maravilha! Coisas que só vc saba como dizer. Eis um dos motivos pelos quais eu lhe amo. Concordo: a palavra saüdade parece expressar o sentimento de forma mais profunda. Um beijão! Touso.

Touso disse...

Uma maravilha! Coisas que só vc sabe como dizê-las. Esse é um dos motivos pelos quais eu lhe amo. Concordo: a palavra saüdade, assim escrita, parece expressar o sentimento de forma mais profunda. Um beijão!

Eliete disse...

Olá Adriana. Te encontrei ao procurar pela explicação poética da palavra saüdade. Achei lindo o que você escreveu. Meu interesse é auxiliar uma grande amiga que leu em algum lugar sobre o hiato da palavra saüdade de 4 sílabas e precisa da comprovação, de uma citação sobre o significado dessa palavra. Não o significado da correção ortográfica, mas um significado mais poético. Se você souber de alguma fonte de comprovação, por gentileza, me escreva. Obrigada, adorei o seu texto.