14 de mai de 2006

Pra Você que não é Mãe...



Já deu pra perceber que hoje não há espaço pra homenagear mais ninguém, só dá mãe do começo ao fim. Triste daquele que faz aniversário no dia de hoje e não é mãe, de quem é digno de qualquer apreciação, fez uma boa ação, doou dinheiro, teminou de escrever um livro, encontrou a cura do câncer...se não for mãe antes de tudo, a festa e o reconhecimento ficará pra amanhã. Hoje é dia de sair para comer fora, ouvir que é alguém muito importante, ganhar beijos estalados, abraços a cada cinco minutos e, melhor, nada de trabalho doméstico. Melhor aproveitar. Amanhã tudo volta ao normal, as mães todas retornam a sua tarefa principal que é salvar a humanidade, começando por seu universo particular. Saem as roupas cheias de graça do almoço de domingo, os cabelos alinhados, as unhas feitas, os cartões cheios de palavras doces, os presentes, as flores. Entram o turbilhão de tarefas para resolver, todas de uma vez, e a certeza de que pode dar conta de cada uma delas com esmero; retorna a luta pra pensar um pouco mais em si mesma ao invés de passar o tempo todo dedicada aos outros, a promessa de que fará yoga, natação, que começará a caminhar no final da tarde, que se matriculará em um curso, saíra pra jantar, irá ao cinema sozinha; volta a mesma ladainha que tudo o que faz é para o bem dos filhos, o que eu posso jurar que é mesmo verdade, as promessas de que não vai chorar, seja de emoção ou saudade (tudo mentira!), o sussurro baixinho “não tenha medo, eu estou aqui”, mesmo quando não sabe ao certo o que fazer. Volta tudo, com a mesma intensidade. Porque mãe é do jeitinho que dizem, são todas iguais, só mudam de endereço e , eu diria, de país. Não pensem que as mães americanas abrem a porta de casa para os filhos saírem aos 18 anos, como reza a lenda, a maioria deles sai mesmo pela janela, muitas vezes empurrados pelo pai. Elas também vão as festinhas da escola e derramam muitas lágrimas, dão beslicões discretos no amiguinho do filho que o empurrou no recreio, chamam o seu adolescente pelo apelido na frente dos colegas, pensa que o filhote não sobreviverá sem os hot dogs que só ela sabe preparar. Igualzinho as mães do Brasil...Japão, Inglaterra.
E pra você que não é mãe, mas é boadrasta, madrinha, tia coruja, pai presente, tutora, professora, avó de plantão, receba também a homenagem. Caso contrário, volta amanhã.
 Posted by Picasa

Um comentário:

Anônimo disse...

Adri, voce se esqueceu de colocar que nos outros dias a gente so leva p----da, como diz a sábia Rosinha! Brincadeira...
Bjus (estou tentando ser mae que sabe o dialeto dos jovens),
Mana