2 de fev de 2011

Amigos que Mudam e Amigos que se Mudam




Há amigos que se mudam e nada muda; viram a esquina, atravessam o oceano de mala e cuia, têm filhos, fazem mestrado e doutorado, encontram novos amigos, casam e descasam, ganham dinheiro, mudam de religião, de time de futebol...mas entre nós nada muda, só se for pra melhor.

Há amigos que se mudam e mudam; você pensa que vai ser aquela festa o reencontro, já que deu até uma mãozinha na mudança, levou champanhe pra comemorar, mandou cartão de boa sorte na nova morada, quase chorou no aeroporto... e de repente dá de cara com outra pessoa, definitivamente não aquela que você chamava de amigo. Mudam de casa, de cidade, de estado ou país e no caminho, sem que se perceba, tudo muda.

Há amigos que nunca se mudam e nada muda; estes você sabe exatamente aonde encontrar. Pode mandar carta sem erro, vai chegar, o endereço é o mesmo desde sempre, assim como a maneira como você é recebido na mesa do café, o jeito de abraçar, de sorrir, de dar a mão...de dizer que você é bem-vindo, que pode entrar que a casa é sua e, de quebra, o convidam pra passear pelas lembranças como se o tempo não tivesse passado.

Há amigos que nunca se mudam e mudam; estes constroem um muro alto bem na frente do jardim que vocês costumavam jogar bola e brincar de pique-esconde. Você passa na rua e nem reconhece o lugar. Pior que isso é encontrar os tais amigos e constatar que eles, por onde andam,carregam consigo outros muros, todos instransponíveis.

Mas a verdade é que cada amigo, os que mudam, os que se mudam, os que não mudam e os que não se mudam, mantêm em si um pouco de você. A diferença é que os que não mudam sabem disso e gostam e os que mudam também sabem disso, mas não gostam. Pena que , neste caso, não se possa fazer nada pra mudar.

Foto by Adriana

8 comentários:

Marília Fontenelle disse...

Tia Adriana,
AMEI o texto. Muito boas as descrições....e o final foi como a cereja de um bolo! sou sua fã.

DE BEM COM A VIDA! disse...

DRIZINHA, AMEI VERDADEIRAMENTE E FICO ASSIM PENSANDO COMO QUERIA TER ELABORADO "AMIGOS QUE MUDAM E AMIGOS QUE SE MUDAM", POIS AGORA NAS FÉRIAS ESTAVA REALMENTE PENSANDO SOBRE ISSO, E VC CONSEGUIU, COMO SEMPRE, ESCREVER ALGO Q CONSINTO DE FORMA PLENA!!! BÁRBARO... DESEJO QUE VC CONTINUE COM INSPIRAÇÃO PARA NOS PRESENTEAR COM POSTS TÃO MARAVILHOSOS DE SE LER!!! DRI, VC É UMA AMIGA QUE SE MUDA, MAS MUDA SEMPRE PRA MELHOR, SIMPLESMENTE EVOLUI... E NÃO MUDA NA LEALDADE DE SEUS SEMTIMENTOS, AADDDOOOOOORO ISSO!!! ESSE TB QUERO AUTORIZAÇÃO PRA COLOCAR NO BLOG SERFELIZDEBEMCOMAVIDA
POSSO? BJO MEU, TAN

Márcia Du disse...

Dri,
é impressionante a capacidade que vc tem de colocar as coisas no papel de forma tão clara e bonita.
Sinto exatamente isso com relação a algumas amizades pois como não sou de muito de participar de encontros acabo me distanciando das pessoas. Mas algumas pessoas qdo encontro mesmo fazendo um tempo parece sempre que foi ontem que nos vimos e embora saibamos que muita coisa aconteceu desde então a amizade se preservou. São este os que de fato considero amigos. ~
Márcia

Carol Morais disse...

Tia Drica.
A mudança maior, muitas vezes, está em nós mesmos. Achamos que nós somos os únicos que não mudamos, apenas amadurecemos. Nem sempre. O amadurecimento nem sempre é uma mudança, e mudar nem sempre traz bons frutos.
Há amigos que, sim, mudam completamente, mesmo que estejam ali, no nosso quintal. Nossos pais, tios e primos mudam. E nós também. É difícil, muitas vezes, assumir uma mudança nossa. Por que sempre os outros mudam mais? Por que nós ficamos estagnados em uma realidade que julgamos eterna e absoluta?
Se a mudança traz o esquecimento, não houve uma mudança, mas uma opção, ou uma falta dela. Necessidade. Ou não.
Belíssimo escrito.
Digo de ser lido e relido, para que avaliemos as nossas mudanças mais do que as dos nossos queridos amigos.
Um beijo grande!

regina disse...

Dri amei o texto ,vc como sempre arrasou ,é impressionante como consegue exprimir os sentimentos de forma tão poética .Consegui captar a essencia ,vc sabe .Ainda bem que mudamos muito e não mudamos kkkkkkk.Amigas em qualquer lugar do planeta,em qualquer tempo dessa vida e de outra quem sabe.

Anônimo disse...

Dri, Dri, Dri, AMEI.
Como é verdade. Super bem descrito por você amiga.
Amo os amigos E-T-E-R-N-O-S, os que não importam onde e quando, mas sempre serão os mesmos.

Hilra disse...

Meu amor, essa sintonia antiga nunca se cansa de me surpreender. Amo isso em voce, ou isso de voce em mim. Nossos 'enquandros', nossos olhos. Fico tao feliz de partilhar com voce da amizade dessa gente que nao muda, indepedente de se mudar muito ou de nunca se mudar. Amo voce esteja onde estiver, voce esta sempre em mim, esteja eu onde estiver. Beijo

P.S.: Senti tanto sua falta la na casa da Re

Anônimo disse...

Olá Adriana...
Não a conheço, mas amei seu texto, aliás já li uns 3 mais e com certeza tomarei a liberdade de voltar... Aliás vou enviar p/ alguns amigos que estão longe tbém... Eu morei 1 ano na Austrália e estou de volta ao Brasil há 2 anos, ainda me readaptando as mudanças desse divisor de águas maravilhoso e confuso que foi em minha vida. Hoje tenho amigas que estão na África e Austrália, compatilharei esse link com elas...
Gostei da tua história, me identifiquei, gostei das palavras, "do criando pontes", da sensibilidade para expressar sentimentos comuns, não tão fáceis de se expressar...
Boa sorte! Te cuida! Fiquemos com Deus sempre!
Elaine - SP
laine55@hotmail.com