2 de mar de 2007

Sem Palavras


Para os dias em que as palavras não dizem nada, inventaram as cores.
Para que estas se fizessem entender, criaram a sombra.
De forma a serem interpretadas, as lançaram contra a luz.
A fim de que se diferenciassem, trouxeram as nuances e, enfim, para que não digam tudo, foram submetidas à forma.
Benditos sejam os deuses e essa mania de criar códigos.
Photos by Michael B. Posted by Picasa

3 comentários:

estrangeira disse...

As Palavras Ausentes
Madredeus
Composição: Pedro Ayres Magalhães

Junto a ti
É que eu aprendi
A deixar ficar o silêncio
as palavras ausentes
Foi assim
Aprendi assim
Que é bom ficar em silêncio
Quando o amor, manda
Ai, é a saudade quem fala assim
É o amor que se ouve assim
Neste silêncio em que eu descobri
Que é bom ficar junto a ti
Foi assim
Aprendi assim
A deixar ficar o silêncio
As palavras ausentes
Ai, é a saudade quem fala assim
É o amor que se ouve assim
Neste silêncio em que eu descobri
Que é bom ficar junto a ti
Neste silêncio em que eu aprendi
A ficar bem junto a ti
Neste silêncio que descobri
Quando estou bem junto a ti

J Lívio disse...

ai ai ai...Nada diferente do que uma claridade escondida na sombra do transparente! Realmente, sem palavras! :)

César disse...

Considero esta, uma de suas mais ricas composições. Texto e imagens casaram-se numa cerimônia esteticamente grandiosa ou seria, luminosa ??!!